EN

Libertação: Viagem interior

13 Maio 2021

Existem momentos na vida em que nos sentimos presos...a pessoas, momentos, ideias,
pensamentos, trabalho... 

Mas, efetivamente, o que nos prende? O que nos mantém presos? Porque nos mantemos presos? O que nos impede de deixarmos a vida fluir? O que podemos fazer para nos libertarmos? Quanta carga acumulamos sem necessidade?! Quantas coisas permanecem a ocupar espaço, desde objetos a medos, limitando a nossa caminhada?

Então comecemos a olhar para dentro de nós próprios, a dar ouvidos ao ser interior que habita em nós, a aprender a escutá-lo e deixar vir tudo à tona. Apenas como mero observador. Quando visitamos o nosso interior encontramos coisas boas e menos boas. Deparamo-nos com mágoas, memórias de infância, traumas, prisões mentais (ou crenças limitantes)...mas tudo isso faz parte de nós! Tudo isso dá forma ao Ser incrível que somos!
Mas existe sempre espaço e oportunidade para evoluir e melhorar.

É chegado o momento de agir! De mudar! É hora de libertar!  
Deixar ir tudo o que já não somos. Desprender do que deixou de fazer sentido para nós, da
necessidade de procurar a felicidade fora, quando na verdade ela está bem dentro de nós.
Comecemos por silenciar, escutar, observar e escolher o caminho a seguir.

Por onde começar?

  • Perceber e reconhecer a origem do nosso desequilíbrio interior.
  • Rever (e reconhecer) os padrões. Ressignificar as crenças, desmistificá-las e desconstruí-las, percebendo e aceitando que já não são úteis para a nossa existência e evolução. Permitir ser melhor do que somos a cada dia e torná-lo um objetivo diário.
  • Elaborar uma lista com as coisas que objetivamos libertar. Iniciando pelas mais fáceis, as que são possiveis de trabalhar no agora até às mais difíceis, as que necessitarão de mais tempo de trabalho interior.
  • Usar todas as ferramentas, qualidades e capacidades, que possam ajudar durante essa descoberta, como por exemplo, rir, cantar, gritar, pular, meditar, dançar, chorar, agradecer...
  • Não colocar prazos, não nos culpabilizar, não exigir demasiado de nós próprios, nem dos outros. Tudo a seu tempo, pois o melhor caminho é feito com c'Alma.
  • Durante esse processo vamos precisar de nos acarinhar e amar a nós próprios. A nutrição é essencial. Só assim é possível.
  • Acreditar e não desistir! Mesmo quando damos passos errados, pois é errando que encontramos o caminho certo. O tempo encarrega-se de encaixar cada peça no seu devido lugar,  de curar as feridas abertas e dar sentido ao caos.
  • Escrever uma nova história (melhor) ou um novo capítulo. Lembre-se: os pensamentos e os sentimentos criam a sua vida, por isso livre-se de todos os pensamentos limitadores e negativos!

"Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir."
Cora Coralina